Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Tem a ver com SER e não com ESTAR. Mas consigo compreender a confusão.

Então falaremos sobre auto realização, plenitude, transcendência.
Todos os seres para estarem plenos precisam viver as emoções do dia. E tudo bem! Tristeza, alegria, raiva. O que muda é a forma como lida com as emoções positivas ou negativas. Pois não significa que você É aquela emoção.

Recentemente houve o triste caso da moça que foi avisada na véspera pelo whatsapp que o noivo não se casaria mais. Ela foi sozinha ao casamento e celebrou a vida. No dia seguinte cometeu suicídio. Ela não estava feliz enquanto cantava e dançava na festa do próprio casamento que realizou sozinha. Estava doente, sofria de depressão. Não vou colocar em questão o caso específico, mas é muito triste ver que existem tantos casos similares e na maioria das vezes as pessoas não compreendem que estão doentes e não procuram ou não aceitam ajuda.

A palavra felicidade se banalizou, enquanto o que está em alta e “vendendo bem” é a depressão, ansiedade.

Ser feliz, autorrealizado e pleno tem a ver com propósito, missão, compaixão, fé, caridade, paz, esperança, resiliência, viver mais emoções positivas do negativas no dia a dia e isso depende do seu olhar e não do seu entorno. Ter o olhar delicado para a situação difícil e sentir o aprendizado. Não tem a ver com você chegar saltitando e cantarolando num velório, isso é desequilíbrio ou falta de elementos como amor e compaixão.

Felicidade tem a ver com a clareza de cada momento. Tem a ver com o olhar positivo em relação a vida mesmo em momentos turbulentos. Tem a ver com equilíbrio. Tem a ver com o que vem de dentro e não o protocolo que vem de fora.
Não tem a ver com ficar repetindo o dia todo que você feliz para se convencer disso. Tem a ver com silenciar.
Resumo da ópera: a autorrealização simplesmente é. Resumir a felicidade à sensações momentâneas e meia dúzia de hormônios é banalizar a palavra e ignorar a sua verdadeira origem e profundidade.

Entre tudo o que eu recomendo tenho um amor especial pelos florais.

Gorse é uma essência floral que regenera a fé, a esperança e a confiança em si mesmo. Quando a gente se permite ver as situações de um prisma diferente, sempre tem uma saída. É essa consciência que o floral Gorse ajuda a ter. É a Luz Dourada que todos nós recebemos ao nascer e que fica guardada dentro de nosso Coração para iluminar nossa vida nos momentos difíceis e obscuros, nos quais não vemos mais solução. Essa Luz nunca nos abandona, cada um tem a sua, somente esquecemos que a temos. O Floral Gorse nos lembra que somos portadores desta Chama Dourada para nossa vida terrestre e que ela iluminará o nosso túnel de luz na volta ao Todo. A flor do Gorse é dourada e tem espinhos que representam nosso sofrimento terrestre. Ela nasce logo no início da primavera, trazendo a volta da luz ao mundo. Ela foi a 13ª flor descoberta pelo Dr. Bach e é uma das “Sete Auxiliares”. É a luz que nunca se apaga. (Instututo Dr Edward Bach)

Pri Guida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *