Amor em tempos de redes sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Quantos “amores” surgem e terminam por segundo ?

Surgem e terminam na velocidade da luz e às vezes me parece algo que está em “slow motion” como num filme, de tão surreal.

Atendo muitas pessoas diariamente. São inúmeros desentendidos e desentendimentos diários, assim como muitas amizades e até amores encontrados.

Tenho um segredo para te contar. Até muito pouco tempo, muito pouco tempo mesmo, não existiam os smartphones, a internet, e nem computadores disponíveis nas residências. E as pessoas ficavam esperando um contato, uma carta, uma visita, uma ligação (aliás, tinha que ficar ao lado do telefone pois acreditem, era uma única linha telefônica para a família toda!!). E tudo bem…sim era muito bom !

Não posso negar que AMO a tecnologia, hoje é minha principal ferramenta de trabalho e fiz muito amigos através dela. Não falo de contatos, falo de amigos mesmo que levarei para a vida! Mas equilíbrio é sempre a palavra.

Agora não sei bem quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha! Aliás foi uma pergunta do meu vestibular da minha primeira faculdade! A resposta certa? “De acordo com a teoria da evolução, quem nasceu primeiro foi o OVO.” Tá mas o que tem isso a ver com a internet e as redes sociais?

Bem, não sei também se as redes sociais desenvolvem distúrbios ou se revelam distúrbios que já existem e apenas deixam expostos ou apenas ativam o chamado “gatilho mental”.

Tudo vai depender da dose e as escolhas. Assim como a diferença entre o remédio e o veneno é a dose.

Tudo vai depender de como você se encontra internamente. Você vê o mundo como você é, e não o inverso.

Se você procura se conectar com notícias ruins, trágicas, maldosas, fofocas, disputas políticas (aliás se você está perdendo amigos por causa de política e sua rede social virou um ringue, repense seus contatos e a quê e a quem você anda se conectando), com certeza seu dia não será de paz. Se você escolhe compartilhar notícias e mensagens que vibram numa frequência baixa, o que você quer colher para a sua vida e para seu dia?

Porém se você se conecta com mensagens ricas em conteúdo, que vão te elevar a frequência e o espírito (seja ela qual for mas que seja positiva), seu dia será produtivo e de paz! Pode parecer simples mas não é bem assim…

E quando você encontra alguém e na velocidade da luz você concluiu que aquele sim é o amor da sua vida? Sim, imediatamente vai nas redes sociais do(a) pretendente e inicia o processo de investigação.

Quem segue, quem curtiu, quem comentou, que deixou de seguir…e por aí vai. Nisso, horas do seu dia e da sua vida passaram.

Existe um limiar tênue nesse caso entre o remédio e o veneno, entre a sanidade e a loucura. Muitos casos poderiam ter virado amor ou boas amizades se não tivessem se tornado, ou revelado uma patologia.

E sim, as pessoas se deprimem, sofrem, sentem raiva, frustração, se desgastam, perdem tempo e saúde escolhendo esse caminho. Se for o seu caso, não hesite em procurar ajuda terapêutica. Existem muitos tratamentos naturais que podem te ajudar a mudar essa chave.

A informação está aí, disponível. A boa e a ruim, basta escolher.

As pessoas estão aí, disponíveis. Mas pessoas não se escolhe como numa vitrine. Pessoas se conhece mesmo depois de tempos, depois que as paixões se vão, depois que se conhecem os defeitos e os aceitamos (ou não). Não é vasculhando redes sociais que você conhece a essência de alguém. As redes sociais refletem o que alguém quer ser e não quem é. Conheça a si mesmo e certamente se conectará com pessoas do bem e quem sabe até encontrar seu grande amor em algum lugar do mundo que existe hoje em nossas mãos.

Pri Guida

 

“Tudo tem seu direito e seu avesso. A melhor coisa fere, se a tornarmos pelo corte; inversamente, a mais incômoda acomoda-se, se tomada pela empunhadura. Muitas coisas que foram penosas teriam dado alegria se houvéssemos considerado as conveniências. Em tudo há conveniências e inconveniências; a habilidade consiste em saber encontrar o que convém. Uma mesma coisa tem diferentes faces se a olharmos sob diferentes luzes; olhemo-la sob a da felicidade. Não devemos trocar as rédeas do bem e do mal; disso resulta que uns encontrem contentamento em tudo, e outros tristeza. Saber receber as coisas: o melhor anteparo contra os reveses da fortuna e uma grande regra de vida, para todos os tempos e usos.”  Gracián – A arte da prudência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *