Sobre as dores e amores nas redes sociais…

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Não sei se uma lembrança ou uma intuição me colocou no túnel do tempo…minha avó!

Nona Rosa, como o nome dela mesmo dizia, era uma flor!

Lembro de coisas muito marcantes nela: o cheiro, a comida, o almoço de domingo, o sorriso, a Bíblia, as histórias, e natureza!

Sim ela amava as plantas! E numa casa, na cidade de São Paulo, ela tinha um quintal nos fundos repleto delas! Me lembro muito das samambaias! Das flores…

As flores, o aroma daquele canto que era só dela!

Sabe aquele caldeirão que ferve horas a fio e o aroma faz com que todos se rendam a ela? Assim era o fogão na casa da vó! Ela tinha o segredo dessa magia! Dos alimentos, dos temperos e do amor no que fazia!

Dores e amores? Certamente ela tinha. Era uma mulher linda, com os encantos do feminino e os segredos dentro dela. Evangélica nessa vida, ela conhecia toda a magia que carregava na alma, das plantas, dos aromas…Ah como eu tenho muito dela em mim…

Pois então, fiquei imaginando a nona nos tempos de internet e redes sociais!

@ligiaguida já imaginou isso??

Bem com certeza o Instagram dela seria lindo! Cheio de imagens de plantas, flores, com mensagens da passagem da Bíblia e com Stories todos os sábados mostrando que o nosso molho de tomate do almoço de domingo já estava a ferver!

Se a nona já pilotava à mil aquele Ford Del Rey, imagine com um Smartphone nas mãos!

O canal dela do Youtube seria um arraso! Cheio de segredos de culinária e receitas que ela carregava há vidas!

Facebook? Cheia de seguidores doidos para ver as fotos dos netos e as bonecas da Estrela que ela comprava nos lançamentos para as netas. Ela amava as bonecas e não teve oportunidade de tê-las. Mas e as dores e amores da vovó? Ela conversava com as plantas e certamente os segredos ficavam por lá mesmo! As samambaias filtravam as energias, as rosas transmutavam e perfumavam, as espadas de São Jorge aturavam suas TPM’s, as orações a mantinham na retidão e ela saía daquele quintal terapêutico renovada, energizada para continuar a compartilhar e multiplicar amor!

E os seus segredos ficavam com as amigas que aos poucos se encarregavam de transmutar lentamente na sua fotossíntese.

E quem vai dizer para vó Rosa que ela precisava colocar todas as suas emoções nas redes sociais e não apenas para as suas plantas para ela ser humana de verdade?

O amor próprio faz com que seja feliz com o seu jardim sem se incomodar com o jardim do vizinho.

E o seu jardim está repleto de ervas daninhas? Acredite, todos tem!

Alguns gostam de dividir todo o processo de tirar as ervas daninhas com todos. Outros preferem meditar enquanto tiram suas ervas daninhas e depois chamam os amigos para compartilhar como o jardim ficou bonito. Eles dividem as dicas que aprenderam nesse processo e ainda contam que descobriram que algumas dessas ervas daninhas eram comestíveis e podiam fazer muito bem à saúde!

Quem está certo ou errado Sinhozinho Malta? Ninguém e todos!

E deixo aqui a minha reverência, gratidão e admiração pela vó Rosa que me ensinou a espalhar boas notícias, a conversar com as plantas e graças a ela, hoje saio no meu jardim e elas me entendem num só olhar!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *